Compartilhe no Google+ e Twitter

12 de mar de 2008

Curiosidades de Bar e poesias de Cândido Canela

Aqui, neste post, você lê umas poesias engraçadas de Cândido Canela.

Tem umas rimas curiosas e engraçadas.





Dizem que a pinga nos mata
Pouco a pouco, lentamente,
Por isso não largo dela
Pra não morrer de repente.

Cândido Canela, poeta mineiro, nascido em Montes Claros, em 22 de agosto de 1910.
Compositor, poeta. Tabelião e Vereador.
Em 1978, venceu o Primeiro Festival Brasileiro de Música Sertaneja, promovido pela Rádio Record, São Paulo (SP).

Escrito na tabuleta de uma lanchonete:

Café 0,50
Cafezinho 0,50
Dedinho de café 0,50
Boca de pito 0,50
Meio café 0,50
Golinho de café 0,50

De graça o patrão manda embora
E se derrubar na roupa
Suja a camisa.

Lanchonete Palácio das Vitaminas
Praça Senador José Bento, ao lado da Catedral
(Pouso Alegre/MG)

A nossa dúvida é se, mesmo assim, alguém se arrisca a pedir um café nessas condições.
Rsrs!

Saudade

Saudade - recordação,
de tudo quanto ficou
bem fundo, no coração
do velho que muito amou.

Saudade - sorriso e dor,
pranto dos olhos que rola,
saudade - prece de amor
passado que nos consola.

Saudade - nosso presente,
relembrando os nossos fados,
saudade - sabor ardente
de antigos beijos trocados.

Saudade - luar de prata,
festivos saraus de outrora,
saudade - mulher ingrata,
que a gente reclama e chora.

Saudade - infância passada,
juventude que se foi.
terno canto à madrugada
de um velho carro-de-boi.

Saudade - perfume estranho
de uma flor já ressequida
entre as páginas de antanho
dos livro de nossa vida.

Saudade - corpo ainda leve,
sorrisos abertos e francos,
saudade- flocos de neve
dos nossos cabelos brancos.

Saudades, enfim, são das dores
da velhice, atroz , arfante,
ouvindo trovas de amores
da mocidade distante.

Cândido Canela
Poeta mineiro, de Montes Claros (MG).

0 comentários:

Postar um comentário

Compartilhe no Google+ e Twitter

Design e Ilustração por: ChucK Templates